Loures - Características
 

As características culturais desta região resultam da prolongada ocupação muçulmana e da progressiva miscigenação entre as várias etnias e religiões, de que nasceram os moçárabes, que ao longo dos tempos preservaram traços culturais próprios.

Sabe-se que o primitivo núcleo da cidade se formou junto à Igreja Matriz (Rua Fria) e, gradualmente, se foi alargando em direcção às encostas das Alvogas, procurando as margens do rio e o antigo cais de embarque, situado junto à actual ponte sobre o rio de Loures.

Em 1179, Loures surge referenciada no foral de D. Afonso Henriques à cidade de Lisboa, enquanto área limítrofe. Neste documento são concedidos certos privilégios e regalias aos mouros forros dos arrabaldes de Lisboa, apelidando-os de Çalayos ou Sahori, palavra que, com o decorrer do tempo, evoluiu para saloio, e passou a designar o habitante dos campos situados ao norte da capital.

Englobado no termo de Lisboa, Loures teve, ao longo dos séculos, um papel importante enquanto região abastecedora da capital. No século XVII, há registos da existência de salinas na várzea de Loures e de uma actividade comercial intensa em torno dos produtos agrícolas e hortícolas desta zona saloia, aproveitando o curso navegável do rio Trancão. A actividade agrícola, apesar de apresentar decréscimo no peso da estrutura de emprego, continua a ter grande importância, sobretudo quanto à produção de frescos no quadro da Área Metropolitana de Lisboa e mereceu acréscimo de valor na estrutura económica do concelho. Este acréscimo ter-se-á devido ao impacte positivo da localização do M.A.R.L. (Mercado Abastecedor da Região de Lisboa) no concelho e à correspondente melhoria dos canais de distribuição.

Nos últimos anos, o concelho tem manifestado uma tendência cada vez maior para o desenvolvimento das suas características urbanas e industriais, e mesmo de serviços, sendo um eixo de ligação estruturante e de expansão da cidade de Lisboa. A proximidade do Aeroporto da Portela e do Porto de Lisboa, a par da construção, nos últimos anos, de importantes projectos rodoviários, conferem a este concelho características vocacionadas para a formação de uma nova centralidade urbana na Área Metropolitana de Lisboa. O desenvolvimento do Plano Rodoviário Nacional, a realização da Expo-98, a localização do M.A.R.L. (Mercado Abastecedor da Região de Lisboa), na zona dos Tojais, e do Terminal Ferroviário de Mercadorias, na Bobadela, contribuíram de forma significativa para a alteração do mapa de acessibilidades e da rede de infra-estruturas do concelho.

O concelho de Loures contém dois corredores de acesso à cidade de Lisboa: corredor de Vila Franca de Xira, que serve a zona oriental do concelho, e o corredor de Loures, que serve a zona norte. É de notar, no entanto, que a tentativa de resolução de problemas de congestionamento através de medidas pontuais ou isoladas têm tido resultados aquém do esperado e muitas vezes antagónicos. Foi o caso dos dois grandes corredores viários (Loures-Campo Grande e corredor Ribeirinho) que permitiram sobretudo o afluxo de residentes activos do sector de serviços da capital envolvidos quotidianamente em pendularidade.

 
  confrariaarintobucelas@gmail.com       Rua D. Afonso Henriques n. 3    2670-633 Bucelas      Tel 218 058 495